domingo, 27 de outubro de 2013

Convite à Essência

Apenas uma pausa é o necessário para se ouvir o apelo. Quando paramos e nos concentramos no que é essencial, deixamos de ouvir os ruídos e conseguimos escutar o sussurro.

É num desses raros momentos que entendemos a respeito dessa misteriosa vida acontecendo em nós. No minuto em que nos isolamos de tudo ao redor, fechamos os olhos e deixamos a paz tomar conta de tudo o que somos, o amor nos transporta de nós mesmos para um lugar parcialmente conhecido, mas desejado com toda a nossa essência. E é nesse lugar, longe da dimensão confusa e poluída na qual vivemos, que tal amor e tal vida se movem com o intuito de nos fazer evoluir e romper limites imbatíveis.

De forma absolutamente pacífica e poderosa o amor e a vida trabalham juntos, como um só. Enquanto a vida sopra, o amor nos atrai. Com voz doce o seu poder é o discurso. A ação acontece em nós. Chama-nos ao mover, a nos arrepender, da vida aparente ao transparente. O coração se abre ao sopro da vida, a razão se cala acometida, os olhos conseguem enxergar à luz da sabedoria. Nesse minuto mágico, tudo o que se consegue ouvir é um simples convite, irresistível e fascinante:


"Venha. Mova-se em direção a mim. Ao maior amor do qual poderá desfrutar. À única vida plena que poderá viver. Venha até mim como você está, com tudo ou nada que tiver a oferecer. Aproxime-se com seus meios acertos, ou com seus erros inteiros, com suas falhas cicatrizadas ou não, apenas venha... Você jamais poderá ser melhor do que tem sido, senão em mim. Achegue-se a mim portando tudo, disposto a fazer de quem Eu Sou o seu tudo. Eu sou por você. Não há o que perder. Apenas deixe que a atração te mova até o meu ser. Venha como você está. Como você esteve. Como quem você nasceu para ser..."
Postar um comentário