terça-feira, 4 de junho de 2013

Desejo e Verdade

 O homem que sonha e não se move para a realização, que promete e não cumpre, que aconselha e não se faz exemplo, é um homem de mentiras feito de tristeza e solidão. Tal homem não sabe existir fora de si. Ele é como um pássaro que não se permite voar, feito árvore sem frutos, como foto incapaz de substituir a paisagem. Se esse homem não encontra o remédio ou a si mesmo em suas obscuridades, um dia ele perceberá o que perdeu em vida e, sendo tarde demais para valorizar, certamente morrerá. Mas se ele for capaz de se amar, buscar a cura no seu quarto mais escuro e depois libertá-la para iluminada fé, então ele encontrará o que precisa. Ele conhecerá as mais altas e belas montanhas, poderá colher e compartilhar os melhores frutos, será parte de paisagens humanas internamente escondidas. O homem que deseja, que se move, que tem verdade e a ousadia de liderar, sabe que o começo da permissão é sempre nele mesmo. Nos sons de seus lábios, nas janelas dos seus olhos, nas ferramentas de suas mãos. E toda vez que quiser acreditar, renascerá mais autêntico, na luz que mantém o sorriso encontrado lá dentro.
Postar um comentário