sábado, 23 de fevereiro de 2013

Desequilibre-se

 Chega de ser da noite e ser do dia. Chega de ser do frio e do calor, da maldade e da bondade. Chega de ser entregue à mediocridade. Chega! Existe um ponto de equilíbrio como o eixo que planta os pés do homem, mas não se pode estar na corda bamba e esperar pela própria queda. Equilibrar-se na auto-suficiência já é decidir-se cair. É preciso sair do equilíbrio. Necessário optar por algum extremo. A escolha é direito comum e define o caráter, segue uma direção, separa os pólos da mente, do corpo, do coração. Ninguém deseja desmoronar-se em frustração. Não se opõe à direção que lhe tira do quase caído enquanto ainda tem vez. Ou a luz está acesa ou está apagada. A comida está fria ou quente, doce ou salgada. Ou o ser é anjo ou é demônio. Ou o homem é bom ou é mau. E se tenta se equilibrar já se perdeu na vida morna, para o qual não foi criado. Ou é um novo homem a cada dia, ou se desgasta na mesquinharia. A escolha deve ser feita em tempo oportuno. Esse tempo que é agora mesmo. O caráter só é revelado quando se decide ser alguém. É preciso escolher entre o antigo e o novo homem. Decidir-se renovar ou se perder. Saia da corda bamba. Desça do muro. Seja quem nasceu para ser. Escolha um lado qualquer e lide com as conseqüências, mas chega de se equilibrar e ser a platéia do próprio declínio!
Postar um comentário