quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Inalterado, o Coração


O ser que se tornou não pode ser mentira, que se altera com os ventos e desejos da sua vida. Só o que resta é amargura, se por fugir do ódio o for. Valorize a juventude, não mate sua flor. Se uma faísca de ódio existe, o amor completo não pode ser. Se não fecha os olhos para amar, só recebe quem merecer. Mas se os maus não o merecem, nele não há verdade. E se ama pela metade, não passa de vaidade. E se a vaidade o consome, o ego é exaltado. E se o ego vencer, nada pode ser alterado. E se a mudança não acontece, o meio é contagiado. O sorriso se envelhece, pelo veneno condenado. E se o indivíduo o mesmo bebe, um a um vai se perdendo. Em cegueira foge da vida, pouco a pouco vai morrendo. Por isso escute caro jovem, o conselho de um velho guerreiro. Sua vida pode ser nobre, ou desperdiçada por inteiro. Se do coração se descuidar, o ódio consumirá o amor. Então não sobrará nada... Nada além da dor.
Postar um comentário